Tenha a gentileza e a ética ao reproduzir os textos originais deste blog ou de qualquer outro, colocar claramente a fonte de onde foi retirado, no início ou na apresentação do texto com um link direto para o texto original. Poucos criam enquanto o restante todo copia.

domingo, 23 de outubro de 2011

10 Super Dicas para a alimentação de crianças seletivas:


Muitas mães sofrem com a seletividade alimentar de seus filhos autistas.
Como estou sempre falando em dieta e reeducação alimentar dessas crianças, sempre me perguntam como poderiam colocar em prática uma intervenção alimentar se seus filhos mal comem meia dúzia de coisas e diga-se de passagem, nada saudáveis.
No meu livro tem um capítulo somente direcionado a alimentação de crianças difíceis. Talvez possa ser uma boa leitura para mães que passam por este dilema.
No capítulo tem todas as variantes de médica a comportamental, passando por sensorial que podem estar levando a criança a agir desta forma. Tem dicas excelentes também para tomar providências e redirecionar o caso. Estas crianças são as que mais precisam de ajuda e há solução.

Temos que "atacar" todos os pontos em conjunto.
O 1º de todos e crucial é a preparação mental do cuidador.

E aí talvez todo o livro ajude.
Outro destaque importante nesses casos é que há uma teoria amplamente confirmada por relatos de pais, que é a teoria do alimento viciante.
A criança só come aquilo em que está viciada.
Muitos pais relatam que assim que a criança "limpa" do vício, imediatamente ela passa a ter um repertório alimentar maior.

A seletividade alimentar não é problema só de autistas, a grande maioria das crianças atualmente tem comido muito mal!

Primeira coisa: seu filho come mal?
Faça uma avaliação nutricional!!!!


Parasitas tiram o apetite, ausência de vitaminas e nutrientes tiram o apetite, falta de minerais altera o paladar e causa repulsa... e várias outras coisinhas em jogo como disfunção sensorial onde cheiros desagradam e incomodam, texturas são preferidas, cores influenciam...
Depois de colocar tudo em ordem medicamente ou então paralelamente às providências médicas, aí sim a educação entra em cena!

O 1º grupo de pais que me convidou para uma palestra em sua cidade, foi o GETID de Recife.
Lá eu fiquei na casa de uma das mães e a alimentação do filhote era: arroz branco, purê de batata e bolinho de bacalhau todos os dias no almoço e jantar, bolacha salgada de uma única marca, danoninho e vitamina de 2 únicas frutas com leite de soja.

Quatro meses após o nosso contato e a vontade de pôr em prática tudo o que foi aprendido na palestra e workshop, recebi o seguinte email da mãe:

Era uma vez uma criança seletiva:

Amiga,
Comecei a me interessar pelo tema ano passado foi quando houve o congresso em SP, neste momento que vi e ouvi você atentamente pensei: O que estou fazendo?. E depois daquele congresso o que tinha dúvida passei a ter certeza. Te abordei e penguntei qual a possibilidade de vir a Recife, você não imagina minha emoção quando disse: - Toda é só marcar.

Naquela proposta para vir à Recife...não imaginava como seria maravilhoso.
Sempre gostei de cozinhar, mas apenas comidas nordestinas e massas.
R, só comia bolinho de bacalhau, purê e arroz, vitamina, chambinho e bolacha cream craker.
Atualmente nosso R continua tomando a vitamina com alguma fruta, mas come arroz integral, bolinho de bacalhau sem gluten, purê sem caseína (feito com leite de castanha), biscoito de soja banhado no chocolate, feijão mulatinho enrriquecido, cozido com todas as verduras, chambinho do R  feito com leite de castanha, peixe pescada amarela, carne moida, Pão de linhaça sgsc.

Na vitamina acrescentei amaranto, linhaça e gergelim. E passou a comer chocolate em barra. E começou a beliscar bolo...estou torcendo que seja mais um item conquistado. 
Aqui mudamos nosso hábitos, para caso ele queira beliscar, já irá conhecer o sabor SGSC.
Todas estas mudanças na alimentação aconteceram de maio de 2011 até hoje...acredito que iremos ampliar ainda mais.
Além dos benefícios para R, as mães viram a diferença e começaram a me encomendar bolo, coxinha, bolinho de bacalhau e brigadeiro ajudando na renda familiar da casa. Estou fazendo treinamento nas casas de como comer gostoso sem glúten e sem caseína. Treino as babás e as empregadas. Tem um caso que a criança adorava bife empanado, como não tem intolerância a ovo, até agora só a caseína e ao glúten, fiz um bife empanado com farinha de rosca sem glutén e sem caseína, virou um sucesso. Quando chego semanalmente na casa dele, ele diz: - "oba tia bolo" :)

Em tão pouco tempo, ou seja, 04 meses minha família passou a comer melhor e essa mudança trouxe benefícios alimentares e financeiros para nós.
Pude até ampliar as terapias do R, como faço quase tudo em casa, economizo bastante. Até mais do que quando não fazia a dieta.
Tenho muito a te agradecer minha querida amiga, pois fostes uma luz na vida do meu R...como dizia minha avó: se adoça a boca do meu menino a minha adoça também.
Te amo muito, obrigada é pouco.
Bjs







Este texto é mais uma tradução, feita por mim, do site da Revista Autism File:


Tem alguém seletivo para o seu jantar? Você ou alguém que você ama é um comedor seletivo? Você não tem certeza se sua família está recebendo a melhor nutrição disponível? Coragem! Você pode fazer refeições deliciosas e nutritivas que todos irão gostar! Leve a alegria da comida verdadeira de volta à mesa.

1. Esteja preparado, organizado e habilitado.

Mudança de hábitos alimentares leva tempo e paciência. Você precisa estar preparado e ter um plano que é realista e prático para sua família. Seja muito clara sobre seus próprios objetivos e direção, e comemore cada passo bem sucedido que você tomar.

Organize sua cozinha e torne-a um lugar feliz.
Livre-se de alimentos não saudáveis ​​que já não se encaixam em seu novo plano de saúde.
Organize seu espaço no balcão para fazer a preparação de alimentos mais fácil.
Deixe a mão aqueles itens que você usa regularmente e os que você raramente usa, guardados.
Como comer bem é um dos passos mais importantes para ser saudável, ler livros sobre nutrição pode motivá-lo a se manter firme em seus objetivos.

2. Envolva todos os interessados e faça um plano em conjunto.
  
Se o seu comedor seletivo é uma criança, o plano de ação que você criar irá depender de sua idade e capacidade cognitiva. No entanto, mesmo as crianças pequenas e / ou crianças com deficiência significativa podem sentir o seu entusiasmo para fazer mudanças saudáveis.
Para crianças muito pequenas, você pode querer criar um livro de fotografia com imagens do alimento, saudável e delicioso que você quer que eles comam.
 Além disso, marque os alimentos que serão eliminados com uma linha vermelha "Não".
Apresente as suas alterações de forma positiva!
Comunique à sua família os benefícios de mudar seus hábitos alimentares.
Ajude as crianças a entender que seus ossos serão fortes, suas mentes alertas, e suas células fortes e poderosas por causa dessas mudanças!
Incentive adultos seletivos a fazer mudanças por si mesmos, sem compulsão ou ultimatos.
Não compre ou cozinhe alimentos não saudáveis, em vez disso, faça receitas práticas e deliciosas para comer saudavelmente e despretenciosamente.

3. Faça o planejamento da refeição, preparação e cozimento uma atividade familiar.

Envolver todos incentiva o sucesso. Crianças que ajudam a planejar as refeições semanais são mais propensas a comê-las.
Você pode elaborar as receitas favoritas da  família com um pouco de ajuste para fazer versões mais saudáveis. Por exemplo, macarrão com queijo pode sofrer uma dramática mudança nutricional sem glúten e caseína usando massas sem glúten com ghee, almôndegas orgânicas, e brócolis frescos picados.
Faça das compras de supermercado um passeio em família, e permita que os seus filhos escolham um novo vegetal a gosto. Incentive-os a tentar algo que é novo para toda a família!
Se você não sabe muito sobre como cozinhar ou servir a nova comida saudável, faça uma pesquisa online por receitas saborosas com o ingrediente escolhido.
Compartilhe suas descobertas em torno da mesa.
Lembre aos tutores ou membros mais velhos de sua família que se eles não ficarem entusiasmados com o que está no menu, os pequenos também não ficarão.
Expresse sua admiração por sua vontade de experimentar coisas novas e por serem tão aventureiros. Fale sobre todos os benefícios que estão recebendo por comer tão bem.

4. Elimine os beliscos e lanchinhos constantes.

Tudo tem um gosto melhor quando você está com fome. Novos alimentos parecem mais apetitosos e os cheiros provenientes da cozinha são mais atraentes, quando seu corpo está pronto para alimentos. No entanto, muitos de nós nunca obtém a plena satisfação de comer uma refeição quando estamos com fome por causa dos beliscos constantes.
Lanchinhos saudáveis no meio da manhã e da tarde são importantes para crianças em crescimento, e todos devem beber água pura durante o dia.
Mordiscar besteirinhas o dia todo é um passo para a alimentação seletiva na hora das refeições. O melhor momento de tentar algo novo é quando você está realmente com fome.



5. Trabalhar em dessensibilização de texturas.

Textura dos alimentos pode ser um desafio para um comedor seletivo. Como resultado, as crianças (de todas as idades) podem ter problemas com carne e legumes.
Esconder legumes em alimentos fáceis de agradar é uma etapa maravilhosa em primeiro lugar. 

Muffins podem esconder purê de abóbora e batatas podem encobrir couve-flor em um purê. Gradualmente faça a passagem de alimentos escondidos em purê para a sensação maravilhosa de vegetais inteiros e alimentos ricos em outras texturas.
O meu blog: Cozinha Sem Glúten e Sem Leite, tem receitas maravilhosas com ingredientes escondidos onde a criança nem imagina o que está comendo: muffins de abóbora, pão de abobrinha, sorvete de flocos, de morango ou chocolate, feitos com inhame e abacate são só algumas das opções.

6. Brincar com a comida é divertido!


Crianças assim como a cozinha, devem ser fáceis de limpar. Use roupas práticas que permitam que seus filhos experimentem com alimentos de diferentes maneiras.
Cortar os alimentos em diferentes formas ou blocos pode ajudar a familiarizar os comedores seletivos com as texturas e cores de novos alimentos.
Palitos de cenoura e brócolis podem "brincar" uns com os outros e se tornarem amigos rapidamente das batatas fritas.
Ketchup orgânico, desprovido da alta frutose do xarope de milho, atrai muitos como um "mergulho" útil para a primeira mordida. Além disso, a ghee orgânica derretida e molhos de diferentes tipos podem ser atraentes colegas para ajudar a tornar as carnes desconhecidas, legumes efrutas mais atraentes. Tirar o medo de provar novos alimentos é um passo importante para ajudar os comedores seletivos a expandir seus horizontes alimentares.

7. Pratique "Primeiro Este ... Depois aquele!"
Como comedores seletivos se importam mais com a textura do que com o sabor, dê bastante valor ao fato de provar novas comidas, mesmo que sejam poucas mordidas e pequenas.
Para as crianças, o tamanho deve ser consistente com o tamanho de suas unhas.
Torne o experimentar um passo possível usado ao lado de um motivador. Por exemplo, "primeiro, a fruta, depois o biscoito." Ou, "primeiro o hambúrguer (caseiro), em seguida a batata frita."
Compreenda que o  seu foco principal e objetivo não é uma nutrição completa, mas sim uma cooperação consistente.
Construa uma relação de confiança e confidência mantendo a sua palavra que era somente a de experimentar, não fique empurrando mais comida ou pedindo para experimentar mais!


8.
Passe para o clube dos  "Somente três mordidas".

Uma vez que o comedor seletivo esteja confortável com o seu alimento alvo, então passe para a regra do "Somente três mordidas”. Todos os alimentos servidos à mesa deve incluir um mínimo de três mordidas. Desta forma, o paladar se habitua a uma variedade de alimentos saudáveis.
Manter-se alegre e consistente é a chave para o sucesso. Mesmo o comedor seletivo, quando positivamente motivado, pode gerir três pequenas mordidas! Com o tempo, você perceberá que muitos dos alimentos que foram considerados "graves" estão sendo comidos sem qualquer problema e até mesmo tornando-se um favorito.

9. Pratique a pirâmide nutricional para uma nutrição completa.

Ao planejar suas refeições, use o método da pirâmide. Incluia em cada refeição uma porção de proteína, uma de vegetais e uma de grãos ou amido. Lembre-se de não contar batata ou milho como um vegetal, pois eles se encaixam mais com grãos e amidos.
Seja confiante em aumentar gradativamente a quantidade de proteínas e vegetais, limitando a porção de carboidratos simples a um terço da refeição completa.
Não pule as refeições - café da manhã especialmente, pois é uma refeição importante para a base diária de nutrientes. A quantidade de proteínas necessárias numa refeição pode ser facilmente alcançada, mesmo na correria, com um pequeno punhado de nozes, iogurte orgânico, ou um batido de proteína delicioso.

10. Faça do jantar um momento feliz em família.

As refeições em família são muitas vezes comprometidas quando as programações pessoais ficam excessivamente ocupadas. Alimentos tornam-se então apenas uma necessidade para matar a fome, ao invés de proporcionar um momento de carinho e de celebração. Ao criar novos hábitos mais saudáveis
​​na mesa de jantar, devemos proporcionar a certeza de todos sentarem-se e comer juntos.
Conversa positiva compartilhada em um ambiente descontraído suaviza o stress de novas experiências para o comedor seletivo especialmente, mas também para todos os outros. Mantenha-se fiel a seus objetivos de forma amorosa. Compromisso desestimula o fracasso. Seja um bom exemplo experimentando novos alimentos por si mesmo e desfrutando da aventura de comer, feliz e saudável!


Neste link você encontrará outra excelente matéria que ajudará na educação alimentar de seu filho:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...